terça-feira, 7 de junho de 2011

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS 2011 EM BEIJÓS

05 DE JUNHO - RESULTADO DAS ELEIÇÕES
Que tenhamos dado conta:

Votos 258 > no PPD/PSD
     "   128 > no PS
     "     65 > no CDS/PP
     "     12 > no BE

Onde estão os Comunistas?
Sócrates ainda lá tem 128 fiéis? Quanta sujeira?

domingo, 1 de maio de 2011

REDE DE ESGOTOS DE PARDIEIROS

2009.JUN.26 - QUE ESGOTOS FORAM CRIADOS EM PARDIEIROS?
"- Para onde foram as águas que outrora bebíamos nas poças do Linharzinho...?"
Foi assim que, em determinado momento, uma Beijosense se lamentou para nós, pela má experiência que passou, quando quis reviver o passado.
Procurou a água onde tantas vezes matou a sede, sempre que andava no Linharzinho.
Quis recordar velhos tempos.
Foi passear por aqueles campos, para matar as saudades dos caminhos que percorreu na sua joventude.
Ainda encontrou aquela poça, todavia, agora, coberta de silvados, talvez quanto convém, mas água... não! Encontrou ali a foça a céu aberto, dos esgotos da Aldeia de Pardieiros. 
Para  confirmarmos aqueles lamentos da nossa conterrânea, no dia 25 de Junho de 2009, deslocámo-nos à Estrada de Pardieiros, para nos inteirarmos da localização da respectiva rede de esgotos. Logo a seguir ao Campo de Futebol de Pardieiros, na Estrada principal, seguindo a partir de Beijós, localizámos a primeira tampa metàlica mesmo no asfalto da estrada.
Num caminho fazendeiro, para a direita, logo a seguir à casa do Nuno Rebelo, e depois pelo meio das terras, para Sul da Estrada, descobrimos uma carreira de tampas idênticas.
Fomos colhendo as  fotografias que pudemos e falámos com alguns Pardieirenses, para nos documentarmos, sem divulgar os nossos propósitos.
Na encosta do Linharzinho, a caminho da ribeiro do Poço Negro, confirmámos que a tal poça estava coberta com silvas, vegetação espontânea, as quais escondem o vazadouro dos detritos.
Depois,  quando as águas atingem determinado caudal, lá vão correndo a céu aberto, para a ribeira, sem que tenham qualquer tipo de tratamento.
Temos a convicção de que se comentássemos este assunto com as populações haveria alguém que procurava  impôr o seu parecer sobre os esgotos, uma vez que, ainda que não tenham sido concluídos, já as beneficia, apesar do prejuízo para os habitantes de Beijós.
Pelas diligências que encetámos ficámos com a impressão de que aquele problema preocupa bastante as autarquias, mas a falta de verbas têm dificultado a execução da obra para o resolver.
Realmente, as coisas não estão bem!
Já abordámos os problemas que encontrámos com os esgotos de Aguieira/Carvalhal Redondo, Pisão, Moreira e Santar, no concelho de Nelas, porque as águas residuais, mal tratadas, entram no leito da ribeira do Pisão e por ali correm também ao ar livre,  a Norte de Beijós, matando toda a fauna e flora que nela se encontra.
Agora vemos que a nossa casa também não está devidamente arrumada.
A Câmara Municipal de Carregal do Sal tem ainda este berbicacho para resolver, para que, então, possa exigir a reparação dos danos á vizinha Câmara de Nelas e, assim, ambas resolverem os problemas das populações de Beijós e evitar que esta aldeia fique atolada nos esgotos dos outros.
Os Beijosenses têm cada vez mais razão para exigirem a alteração deste tipo de situação, para que Beijós continue a ter ar respirável.
video

terça-feira, 26 de abril de 2011

NA TERRA DOS BRAVOS

JÁ ESTIVEMOS NA TERRA DOS BRAVOS > (30MAI2008)

Falar sobre YouTube - Os Panteras - Terra dos Bravos 

domingo, 24 de abril de 2011

O MEU CRICUITO DE MANUTENÇÃO

DIMENSÃO DO MEU CIRCUITO DE MANUTENÇÃO »»» (13MAR2008)


O dia hoje, ainda que fresco, não ameaça chover nesta zona da Capital Portuguesa. Depois da piscina, animado com a actividade que tenho vindo a desenvolver, decidi ir medir o meu circuito de manutenção. Eram 10H30, pés a caminho. A minha bicicleta estava preparada para me ajudar. Piso muito irregular, mas, apesar de ter sofrido um bocadinho, não se recusou. Por montes e vales, umas vezes transportava-me, outras era eu a empurrar ou segurá-la, para a manter juntinho de mim. Sim, porque, nalgumas descidas, era preferível ir a pé e com ela à mão, para evitar alguma cambalhota. Tudo de bom. Às 12H00 já estava na garagem a dar banho à minha ajudante, para lhe tirar as lamas que apanhou por lá. Conclusão, o circuito mede exactamente 13,00 Km. Por isso é que as minhas pernas, a percorrer aquele espaço desde Setembro de 2007, já estão levezinhas. Já estão habituadas aos trilhos irregulares e a subir montes e descer aos vales. Por isso, os 13 km já não são qualquer problema. Vamos em frente.... Para quando aparecer algum parceiro? Ninguém se dispõe a isso e agora quando tomarem conhecimento dos 13 km ainda mais se encolhem!

sábado, 23 de abril de 2011

CAMINHADA MOLHADA

CAMINHADA MOLHADA »»» (10MAR2008)

Ontem não tive possibilidade de ir fazer a minha caminhada. Hoje, pelas 08H30, lá fui percorrer o meu circuito. Quando cheguei ao meio do percurso já no alto da Serra da Carregueira, a chuva começou a cair de mansinho. Depois o S. Pedro lá foi alterando o distribuidor e, quando chegou a determinado momento o crivo já era bastante largo e a chuva começou a cair mais forte. Enfim! estava a meio do percurso, só me restava regressar a casa. Mas, sempre a chover, as coisas começaram a estar duras. Tirei o meu impermeável da bolsa, vesti-o, para evitar molhar-me no tronco. Apesar de ter resultado alguma coisa, não me consegui preservar da molha. Sempre em frente. Não parar era o lema. Cheguei a casa quase molhado, mas, como tinha que me molhar ainda mais debaixo do chuveiro, não fazia mal. Depois um banho morno reconfortou-me e tudo foi bom. Fazia-me falta a caminhada, quer chovesse ou fizesse bom tempo. Fiz por gosto. Tenho prazer em caminhar, por isso nada custa.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

O REGRESSO DAS CHUVAS

O REGRESSO DEPOIS DAS CHUVAS »»» (05MAR2008)

A chuva também me levou a Web durante uma semana.
Estou de volta, com vontade de ir escrevendo mais umas coisas.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

O MEU CIRCUITO

DE NOVO AO MEU CIRCUITO »»» (02ABR2008)


Fui matar as saudades. Estava ansioso para retomar a minha rotina. O tempo solarengo, quente, deu-me mais força.
O meu café matinal, hoje, já custou mais dez escudos, do que o habitual, mas tinha que ser para despertar.
O circuito estava muito seco. Não havia lama em lugar nenhum. Terei é que alterar a indumentária. Já senti calor a mais.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

LÁ CONSEGUIMOS ENCONTRAR O "RITINHA"

ENCONTRÁMOS O "RITINHA" »» (13MAR2008)

Mas que surpresa.
Andando eu por aí a divagar, tropecei no RITINHA.
Aquele acordeonista da "Orquestra Recreativa O CENTRAIS DE BEIJÓS".
Mas vejam lá como as coisas são!
Dá bem para recordar bons tempos.

terça-feira, 19 de abril de 2011

AQUELES AMIGOS...

OS MEUS AMIGOS APARECERAM E NÃO ME DEIXARAM SÓ »»» (16ABR2008)

Que surpresa eu tive hoje.

Ás 08H00, ao chegar à rotunda dos Bairros de Belas, encontrei ali os meus dois amigos. Fiz-lhe uma festa e eles logo a saltar à minha volta. Seguiram-me imediatamente. Ainda pensei que ficassem por ali perto, mas não. Quiseram entrar no Café com Leite, mas eu não deixei. Esperaram que eu saísse e la seguiram na minha frente,saltando, todos contentes. O Senhor Jorge , enquanto me servia a bica, lá foi dizendo "- será que eles vão aguentar a caminhada?". Será o que eles quiserem. Se não forem, ficam por aí. Surpresa. Ocuparam as suas posições. O pastor alemão, de pelagem normal cinzenta, servindo de batedor, foi abrindo caminho seguindo 10 metros à minha frente, sempre com as orelhas espetadas atento a tudo o que ia vendo e ouvindo. O rafeiro,  de pelagem curta castanha, orelhas dobradas para a frente dos olhos, pequenino, com patinhas de 10cm, sempre desconfiado, seguia os meus calcanhares. Muito bom ver-me assim escoltado. Percorreram os 13 km do percurso sem dificuldades. Mas no final, verifiquei que o pastor alemão, mais confiante, por se lançar para dentro de todos os charcos de água que encontrou, vinha todo enlameado. Então, lançando-lhe uma pedra para a água do ribeiro, ele entrou resolutamente por ela dentro e, quando saiu sacudiu o pêlo, ficou limpinho. Que belo banho não há dúvida, disse-lhe eu. Parece que entendeu o elogio e continuou a saltar, agora com mais vivacidade, na minha frente, todo contente.Belos amigos encontrei. Acompanharam-me até à porta de casa, esperando a recompensa da companhia. Enfim! Mereceram e por isso lá receberam umas quantas das suas habituais bolachinhas de cão. Esta caminhada irá ficar para sempre na minha memória. Espero continuar a contar com estas surpresas.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

CHEGOU O CALOR

CHEGOU O CALOR »»» (14ABR2008)

Que belo dia. Logo pela manhã o Sol raiou e começou a aquecer todo o meu percurso pedonal. Às 10H00, subi ao monte do Duque, uma hora depois de ter iniciado a caminhada. Já se aquecia lá no alto.  Até a vegetação parecia sorrir também para o sol. Tudo começa a verdejar, estamos na Primavera. O tempo solarengo animou-me e foi num instante que percorri os 13 km. Que bom. Regressei a casa com mais vida. Vale a pena um pouco de sacrifício, porqunto o resto do dia vai mais fácil. É assim todos os dias. Quando parecia que andava só, surpreende-me cada vez mais, por estar a aumentar o número de companheiros que se cruzam comigo. Vamos continuar a luta.

domingo, 17 de abril de 2011

FÉRIAS DA PÁSCOA

FÉRIAS DA PÁSCOA »»»» (02ABR2008)
Já cheguei.

Viseu , nesta época, ainda estava muito fria.

Lá ouvi dizer que a Páscoa em Janeiro não tem graça nenhuma. Estas férias por aquelas Terras de Viriato foram muito boas.

Consegui ver o que nunca tinha visto, apesar de estar na minha Aldeia, "BEIJÓS".

Lá também fiz as minhas caminhadas.

Descobri as ruínas de um lagar de azeite do século XIX.

Gostei do achado e consegui recolher muitas fotografias. Logo as publicarei em BEIJÓS*CINCO ALDEIAS.
Agora vamos novamente às caminhadas por estas bandas de Belas-Sintra.

 Logo já vou ver como é que estará o meu circuito.

Que saudades!

sábado, 16 de abril de 2011

A DANÇA DAS PLACAS NO PEGO LONGO - SINTRA

A DANÇA DAS PLACAS (08MAI2008)

Há já a algum tempo que as placas informativas da localização de Escolas e da Capela, sitas a Poente da Escola da Pendão, nos acessos à Rua do Pego Longo, em Queluz/Belas, têm andado numa dança quase diária. Umas vezes apontam para Norte, outras para Sul, outras para Poente. Raramente indicam a direcção certa, que seria para Nascente.
Isto criou alguma estranheza nos moradores daquela zona, que, de imediato, não descobriam o que se passava e desconheciam também o autor ou autores  de tal proeza. Com o decorrer dos tempos, concluiu-se que os motoristas dos camiões que as imagens apresentam, para estacionar ali a viatura e depois para sair com ela, como as placas estorvavam ao rodar da respectiva cabine, viravam-nas para um ou para o outro lado, por forma a conseguirem efectuar as manobras, mas não repunham as referidas placas no respectivo lugar.
Isso ainda continua a acontecer, porque os condutores dos ditos camiões querem ter ali o parque de estacionamento às suas ordens. Apesar de ali estar marcado um estacionamento em espinha, para viaturas ligeiras, eles colocam os camiões sobre aqueles traços todos, paralelamente à faixa de rodagem, ocupando o espaço de uma dúzia de automóveis ligeiros e lá vão virando as placas conforme lhes der mais jeito. Todavia, quem não conhecer a zona, se as placas estiverem direccionadas para local errado, as pessoas nunca mais sabem onde fica aquilo que procuram e que a Câmara Municipal de Sintra procurou sinalizar convenientemente.
Além das placas já citadas, também são notórios os danos causados nas lages de cimento dos passeios, sobre as quais aquele e outros veículos pesados efectuam as manobras para estacionar, principalmente quando o respectivo espaço está ocupado e têm dificuldade em manobrar livremente.
Enfim! Nós pagamos os nossos impostos. A Câmara Municipal arranja as coisas devidamente. Infelizmente, determinados cidadãos dão-se ao luxo de danificar os bens que são de toda a comunidade.
Será que isto não terá solução?


sexta-feira, 15 de abril de 2011

HIDROGINÁSTICA

HIDROGINÁSTICA »»» (06MAR2008)

Mais uma sessão de piscina. Lá fui descontrair para que a coluna continue direitinha e sem me incomodar. É necessário continuar a tratar do físico. Só temos aquilo que queremos. Por isso vamos fazendo qualquer coisa para melhorar a nossa saúde e bem estar, para conseguirmos andar bem dispostos todos os dias.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

DOIS AMIGOS LEAIS

DOIS AMIGOS LEAIS »» (15MAR2008)

Ontem à noite, quando me propunha regressar a casa, notei que o meu amigo, o Visa 10 E, que me atura há já 21 anos, começou a falhar. Fiquei preocupado. Perguntei: - O que é que se está a passar? - Eu quero ir para casa! O meu bom amigo respondeu-me: "-Está bem!"."- Mas olha que eu vou à rasquinha"! "-Isto não está a ser fácil", "-Mas eu penso que vou aguentar". - Então vamos lá ver se lá chegas, porque,  logo que entres na garagem, vou deixar-te descansar. Mas, amanhã, por hoje, eu tenho que me levantar cedo para fazer a minha caminhada e, quando chegar, já vou tratar de ti. Eu já sei que aquele problema da 1.ª vela está sempre a causar sofrimento, para ti e para mim. - Mas eu, como já conheço a tua doença, facilmente a resolvo.
Hoje, pelas 10H30, regressando da caminhada, fui junto do meu amigo e tacteando-lhe o coração, substitui a 1.ª vela. Perguntei: - Então será que era só isto? Meia volta de chave e ele confirmou, começou logo a cantar direitinho todo contente. - Porque tinha que sair, logo ele respondeu: "- Pronto vamos à vida, porque afinal já deste com o gato e já resolveste"."- Estou pronto para ir onde quiseres". OK, respondi eu e saimos porta fora animados, para o almoço. - O meu amigo, não há dúvida que está sempre pronto para me aturar. Enfim! É o destino que nos leva a andarmos sempre juntos.

terça-feira, 12 de abril de 2011

O MEU CIRCUITO DE MANUTENÇÃO

O MEU CIRCUITO DE MANUTENÇÃO »»»» (07FEV2008)

Desde de Julho de 2007 que, diariamente, me propus cumprir o que os médicos vêm recomendando. Estava intoxicado com medicamentos, para tudo. As minhas pernas já estavam tão presas que me considerava um velhote de 90 anos. Mentalizei-me de que tinha que andar a pé, pelo menos, 30 minutos, por dia, numa marcha constante. Logo, tive que estabelecer um percurso, por forma a que não passasse duas vezes pelo mesmo caminho. Em princípio a caminhada durava uma hora, num circuito que passava por meio de pinhais, mas de regresso a casa, tinha que passar num arruamento com muitos carros e acabava por ter que respirar muitos gases dos fumos desses automóveis. Em Outubro de 2007, procurei outro itinerário, por forma a não passar nas estradas ou ruas onde circulassem automóveis. Consegui um circuito maravilhoso, sempre no meio dos pinhais, com pinheiros, eucaliptos, mimosas, austrálias, estevas, oliveiras e muitas carrasqueiras. São três horas de caminhada, com passo largo, sempre a puxar, mas, quando regresso a casa já venho outro. Muito mais activo e deixei de tomar muitos dos medicamentos que tomava, por sentir que já não me faziam falta, porque as dores foram embora e a diabetes, com dieta e com o esforço, passou a estar nos valores normais. Tem valido a pena percorrer todo o cricuito, desde a Rua Alexandre Herculano - Belas, passar pelo cemitério da Vila, subir até ao alto da serra da Carregueira, tudo na freguesia de Belas, e regressar. Digo que tem sido maravilhoso este meu esforço. Aconselha-se! Oportunamente irei publicar as fotografias do meu circuito de manutenção pedonal.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

CHUVA NA PÁSCOA

A CHUVA NA PÁSCOA »» (19MAR2008)
A chuva, hoje, veio estragar-me as ideias.
Deu-me mesmo volta aos meus planos.
Saltei da cama, logo pela manhã, bem cedo, com intenção de ir fazer a minha caminhada, mas a chuva não parou e eu tive que ficar por casa, olhando para o ar, para ver quando é que ela deixava de cair.
A esta hora ainda continua a pingar.
O S. Pedro está mesmo disposto a contribuir para o meu banho ao ar livre.
Será que ainda vou conseguir percorrer o meu circuito?
Parece-me que já não dará. Nada de desanimar...

domingo, 10 de abril de 2011

OS CENTRAIS DE BEIJÓS

Recordar "OS CENTRAIS DE BEIJÓS" »» (MAI2008)

 Número que "OS CENTRAIS DE BEIJÓS" muito tocaram nos anos de 1962/66.
Como é bom recordar....?
Citar
YouTube - Conjunto Antonio Mafra - 7 e Pico $Official Videoclip$ 1994
     

     

<><><><><><><><
<><><><><><><><>

sábado, 9 de abril de 2011

ARISTIDES DE SOUSA MENDES





    MEMÓRIA DE ARISTIDES DE SOUSA MENDES (30MAI2008)


































          quinta-feira, 7 de abril de 2011

          VAMOS A MEXER.... PELA SAÚDE

          ...MEXER, ...MEXER, PARA MELHOR VIVER » (12MAI2008)

          Hoje, como sempre, às 07H00, já estava a ouvir as notícias. É hábito acordar com o som da voz do locutor da rádio a comunicar "-São seis e cinquenta e oito no Continente e na Madeira, cinco e cinquenta e oito nos Açores, notícias às 07H00, com o jornalista....". Isto já faz parte também da minha vida.
          Com estas mensagens, ouve-se o que vai pelo Mundo e vamos lá pôr a pé, para seguir viagem, para iniciar a caminhada. Hoje, fiquei mais um pouco enroscado nas mantas, porque, quando abri a janela, vi que po tempo estava um pouco cinzento, seria necessário ver o brilho do sol, para determinar o peso das nuvens. Entre as 07H00 e as 07H30, foi o suficiente para ainda olhar de novo para o outro lado do meu firmamento. Chegou para sonhar com a minha caminhada. Contudo, ao regressar à luz do dia, entusiasticamente, decidi ir embora que se fazia tarde. Havia muitas nuvens, mas a chuva não seria assim tanta, pensei e acertei. Não choveu. Às 08H30 já estava pronto para seguir a viagem. Cheguei às 10H45, mais fresco, mais renovado, com os pulmões cheios de oxigénio, muito mais animado.
          Enfim!
          Ganhei energias para mais um dia, neste Mundo.
          Assim, vamos sempre contando com a Suprema ajuda de Deus.

          quarta-feira, 6 de abril de 2011

          PARA QUE SERVEM OS AMIGOS?

          OS AMIGOS FAZEM-NOS PENSAR E SURPREENDEM-NOS » (11MAI2008)

          Na Sexta Feira, dia 09.MAI.2008, fui almoçar com um amigo.
          Dizia ele "venha ter comigo, porque durante o almoço, dá para pôr a conversa em dia".
          Desiludam-se aqueles que, quando começaram a ler esta minha mensagem, se convenceram que eu iria aqui relatar tudo daquilo que falámos.
          Isso não!
          Por uma questão de princípios e pela consideração que tenho pelo meu amigo, isso jamais iria acontecer, qualquer que fosse o tema.
          Mas o testemunho que aqui quero deixar é que não é necessário ter muita idade para pôr a cabeça a pensar.
          Basta ser inteligente, humilde, educado, perspicaz, bom observador, saber ouvir e, além do mais, ser forte em psicologia para também ler nas entrelinhas alguma coisa que o raciocínio não conseguiu expressar ou aquilo que não houve coragem para dizer.
          Isto quer dizer que, quando se está na presença de um amigo assim, de mão cheia, estamos totalmente à vontade, porque ainda que não tenhamos dito tudo, algumas coisas por falta de coragem, ele consegue ir buscar aquilo que ficou do outro lado.
          Mas, impressionantemente, ainda que ele esteja a mais de 22 anos da minha idade, parece ter respirado fundo durante o almoço, para descontrair e ganhar coragem de abordar o tema que tinha em mente, não há dúvida que conseguiu, seguramente, chegar onde pretendia, pôr as cartas sobre a mesa e distribuiu o jogo.
          Neste caso, como se vê, foi ele o primeiro a sair.
          Não, não se colocou lá no seu pedestal!
          Bem pelo contrário, na sua peculiar e humilde postura, a amizade dá-nos para abrir o jogo e jogar cada um por sua vez.
          O meu amigo nunca teve intenção de jogar e muito menos de ganhar sozinho.
          Nestas coisas é sempre necessário entrar com um abraço e sair com dois.
          As amizades puras e sãs são para manter e aprofundar, não se destruem facilmente.
          Sim, porque os reais amigos são aquelas pessoas que estão sempre connosco!
          Em caso algum nos viram as costas, mesmo naqueles momentos de crise.
          Ainda que tenham reparos a fazer ou tenham que apresentar o seus pontos de vista, os verdadeiros amigos acabam sempre por estender a sua mão, nos momentos mais difíceis.
          Não, não foi de qualquer dificuldade que se tratou!
          Felizmente, procuramos encontrar-nos  para, em primeiro lugar, sabermos um do outro e das famílias.
          Depois para falarmos de assuntos banais do dia-à-dia, como o mais comum dos cidadãos faz.
          Isso também é amizade.
          O cultivar os laços que nos unem.
          Não foi para dar nem para pedir outra coisa que não seja a continuação da nossa longa amizade.
          Pôr a conversa em dia também contribui para isso.
          Também é fazermos a prova de vida!
          Encontrarmo-nos para dizermos que ainda estamos no mundo dos vivos!
          É sublime, quando a amizade nos propõe um encontro somente para  confirmar que podemos continuar a olhar-nos olhos nos olhos!
          Portanto, "amizade" qual excelso privilégio de conseguir estar frente-a-frente, gozando da plena e mútua confiança!
          Obrigado, Amigo! O meu Abraço!

          terça-feira, 5 de abril de 2011

          domingo, 3 de abril de 2011

          TEMOS QUE PRESERVAR O MEIO AMBIENTE

          DEGRADAÇÃO DO MEIO AMBIENTE JUNTO DAS NASCENTES DAS ÁGUAS DO CHAFARIZ DE BEIJÓS (20ABR2008)

          Que águas vão correndo no chafariz em Beijós?
          Pergunta que qualquer cidadão poderá fazer ao percorrer a Estada da Lampaça/Brejo.
          Quando passamos na Laboeira observamos um cenário caricato mesmo junto dos Poços do Chafariz.
          As imagens que apresento ilustram bem alguma falta de rigor na preservação do meio ambiente.
          Numa época em que a humanidade luta arduamente para preservar os recursos hídricos, os Beijosenses assistem serenamente à degradação lenta das águas que hão-de beber.
          Se nada for feito, urgentemente, não tardará que no Chafariz da nossa Aldeia seja colocada uma inscrição a alertar as populações de que aquelas águas são impróprias para consumo humano.
          Nas imagens vemos, de um lado, permanentemente, três cães de grande porte, presos junto das respectivas casotas.
          Logo, fazem ali todas as suas necessidades, cujos excrementos  se vão infiltrando no solo a cerca de 10 e 20 metros, respectivamente, de cada um dos dois poços.
          Um pouco mais além, a uns escassos 50 metros dos mesmos poços, situa-se um aviário com três pisos, onde há detritos com excrementos dos frangos, e onde, periodicamente, são vazadas águas das lavagens e das desinfecções daquelas instalações.
          Já aconteceu que, há uns anos atrás, em determinado período chuvoso na época de Inverno, as águas do chafariz ficaram impróprias para consumo humano, devido às infiltrações de imundices e consequente poluição dos lençóis freáticos.
          Estas águas são a maior riqueza de que Beijós ainda dispõe.
          Os Beijosenses ainda têm o privilégio de poder contar com a pura água do seu chafariz, para beber em casa.
          Além disso, tanta gente de outras povoações que, na passagem pela nossa Aldeia, aproveita também e enche inúmeros garrafões e leva consigo.
           Por tudo isso,  há imperiosa necessidade de pôr cobro a tal situação, para preservar aquilo que ainda temos de bom, na nossa Terra.
          É urgente tomar medidas hoje, para prevenir a degradação desse bem essencial para a vida, para que o possamos ter amanhã.
          Muito embora tenhamos que confiar no trabalho das autarquias e da Delegação de Saúde, é obrigação de cada Beijosense zelar pelos bens que são de todos, nos quais se inclui a água, denunciando todas as condutas desviantes que atentem contra o meio ambiente, para bem das populações e da saúde pública em geral.